OVERWATCHConheça as 3 Técnicas de um Pro Player

Marcus "Mcs33" Oliveira 23 de abril de 2017

Olá pessoal!

Hoje eu vou falar sobre três técnicas que os pro players conhecem bem, mas que o pessoal que joga apenas casualmente, apesar de já ter ouvido falar depois de muito tempo de jogo, não sabe o que elas realmente significam.

Muitos jogadores de jogos digitais (desde a época do Super Nintendo) tem essas técnicas para si, mas não sabem as suas definições ou mesmo como utilizá-las, por isso a galera costuma utilizá-las como auto-play mesmo, de modo automático e nem percebendo o que está realmente fazendo.

Mas chega de conversa fiada e vamos ao que interessa!

1 – MindGame

Definição: MindGame (Mind= mente/ Game= jogo) é uma técnica conhecida por brincar com a mente do adversário e é um dos pilares fundamentais dos jogos competitivos. Sim, isso serve tanto para jogos digitais como para esportes onde partidas de 2×2 e 1×1 acontecem. (Exemplo: Tênis, Pôquer, Xadrez, entre outros).

Mas para brincar com a mente dos seus adversários você precisa conhecer as duas partes que sustentam o MindGame, que são a Bait e o Read. Pois com essa base você conseguirá enganar, brincar e até fazer de trouxa o jogador mais experiente de qualquer jogo.

Então vamos esclarecer o que é cada um.

2 – Bait

Definição: Bait (do inglês “isca”) é a ação de fazer algo desejando que seu oponente responda com uma ação esperada, fazendo assim você ficar em uma posição privilegiada por alguns instantes.

Mas não adianta você conseguir aplicar o Bait e não capitalizar em cima do mesmo, por isso você tem que estar preparado para não errar.

Agora colocando em pratica, o Bait funciona da seguinte forma: imagine que estamos jogando um jogo de luta bem conhecido chamado Street Fighter e eu estou jogando contra você, isso mesmo, você que está lendo.

Para quem não sabe o Street Fighter tem 6 botões de ataques (soco fraco/médio/forte e chute fraco/médio/forte). Então, se toda vez que eu dou um soco forte de perto você sempre reage com o personagem Ryu dando um ‘Shoryuken’, como que eu aplicaria a Bait?

Nesse caso eu aplicaria o Bait dando um soco forte, mas de longe, assim você soltaria o ‘Shoryuken’, que não me acertaria, e eu capitalizaria em cima disso, pois o Ryu fica vulnerável nos últimos frames do ‘Shoryuken’ e eu poderia lhe atacar.

Esse seria então um possível tipo de aplicação da Bait, mas você para realizá-lo precisa entender como seu oponente reage em determinadas situações para que você repita o mesmo acontecimento, porém preparado para a sua reação e capitalizando em cima disso.

No caso do Overwatch o Bait funciona do mesmo jeito.

Você jogando de Tracer utiliza o seu Recall (E) e sempre quando você o utiliza o Mccree inimigo solta uma Flashbang (E) e dá o seu disparo parado. Sabendo disso, então, você combina com um colega seu de time (Hanzo, Widowmaker, Genji ou Soldado 76, por exemplo), avisa que você vai soltar seu Recall e pede para ele focar o Mccree quando ele ficar parado após seu Flashbang, aí seu time vai conseguir um abate bem fácil capitalizado em cima de uma Bait.

3- Read

Definição: Read (do inglês “Ler”) consiste em fazer a leitura do que o jogador adversário irá fazer sem precisar fazer o Bait. O Read é sempre definido em duas vertentes: O Read normal e o Hard Read

O Read normal consiste em você ler algo básico do seu oponente, como movimentação, costumes de sempre utilizar uma habilidade da mesma maneira e etc. Esses costumes você consegue pegar logo de cara quando está jogando ranqueada solo, pois os jogadores são lotados de manias fáceis de serem lidas.

Já o Hard Read ocorre quando você consegue ler algo bem difícil de prever. Um exemplo bem simples é quando você está jogando contra uma Tracer e, mesmo sem ver de onde ela veio, percebeu que ela ativou o Recall e então imaginou que ela veio da direita. Lucky Guess você acertou e capitalizou em cima disso.

O Hard Read consiste nisso, você prever o que o oponente vai fazer na próxima ação, como ocorre quando o adversário tenta um scape bem sucedido ou uma passadinha na sua backline, você vira e o mata. Nessa hora geralmente o cara vai ao chat e fala  que você está usando cheat, só que mal sabe ele que foi apenas o seu Hard Read que agiu.

O treinamento do Read induz no Hard Read.

Pera, como assim? Você está dizendo que se eu treinar Read eu vou ser capaz de prever o que meu oponente vai fazer?

Sim!

Não é fácil de treinar Read, mas depois de treiná-lo com consistência o seu Hard Read desperta por natural. Tem jogadores que conseguem despertar o Hard Read muito mais fácil que outros, porém, com tempo de jogo você adquire isso. E como consegui-lo? Pode parecer simples par alguns, mas não é.

O Read vem de diferentes meios e varia de jogador para jogador, então vou dar o meu exemplo de como eu consigo ler os oponentes e talvez alguns de vocês se identifiquem.

Toda vez que eu jogo Overwatch (em qualquer role) eu presto muito atenção ao que as pessoas fazem depois de determinadas ações e vou criando um banco de dados interno e armazenando tudo comigo. Muitas vezes (quase sempre) depois de um dia de 5 horas de jogo eu faço anotações de coisas novas que aconteceram e coisas antigas que se repetiram, como por exemplo: Jogando de Soldado 76 e com minha habilidade suprema carregada, sempre que eu encontro uma Pharh + Mercy eu não saio ativando a minha suprema no nada, eu faço uma Bait (começo a persegui-la como se não houvesse outro herói no jogo) e depois que ela ativa seu JumpJet (Shift) aí então eu ligo minha suprema.

Isso é apenas um exemplo de Bait para Read de uma situação entre Soldado/Phara/Mercy. Mas nem todas as Phara + Mercy agem da mesma forma, algumas se escondem e outras são mais agressivas e revidam, e com isso eu preciso adivinhar o que ela vai fazer e como eu vou reagir. Assim vou criando meu banco de dados de situações e com isso o Read vem com o tempo e com minha Reaction Time.

Reaction Time

Definição: Reaction Time (do inglês “tempo de reação”) nada mais é que a sua reação no jogo em meio a momentos críticos. Flick Shot também pode ser baseado por Reaction time.

Para explicar é bem simples, imagine que você está jogando de Ana e está lá curando o time inteiro com a Scope aberta, quando de repente alguém grita no voice chat “TEM UMA PHARAH NA BACKLINE”, então você sai do Scope, vira com tudo pra cima e acerta um Sleep Dart monstro nessa Pharah.

O que aconteceu ali foi um Flick Shot com Reaction Time. Seu tempo de reação ao aviso de perigo foi rápido o suficiente a tempo de você localizar o inimigo e neutralizá-lo antes dele mesmo fazer algo contra você ou seus amigos de backline.

Eu não sei indicar um treino de Reaction Time usando o Overwatch em si, porém, existem vários sites com jogos de “clique na bolinha quando ela aparecer” e aí você fica jogando e tentando diminuir o seu tempo de reação, o que ajuda bastante.

Também existem alguns mapas no Counter Strike Global Offensive onde você treina Reaction Time com bolinhas aparecendo em um painel no qual você tem que acertar tiros nelas.

Conclusão

Como eu disse anteriormente, muita gente pode já ter essas técnicas masterizadas, porém, as aplicam e nem percebem o que estão fazendo (Auto-Play).

Esse texto foi mais para explicar o que elas significam realmente e algumas aplicações. Aqui mostrei muito mais como se aplica no Micro-play que no Macro-play.

Pera, o quê? Você não sabe o que é Micro-play e Macro-play?

Então já sabe… Não perca o próximo episódio!

 

About Marcus "Mcs33" Oliveira

Jogador casual de Overwatch e viciado em assistir partidas de alto nível, seja do cenário BR ou internacional. Analista de e-sports e apaixonado por games, auto-intitulado pró de Super Smash Bros.