OVERWATCHDiretor Global de e-Sports da Blizzard Fala sobre a Liga de Overwatch

Andrezza "ArpBerry" Rocha 2 de dezembro de 2016

Fala tu! Berry na área e hoje com um post um pouco extenso, mas trazendo um assunto que gerou muito hype na Blizzcon 2016, a Liga de Overwatch!

Nate Nanzer foi convidado para o 209º podcast do Channel 33 e tirou algumas dúvidas sobre a Liga de Overwatch.

Inicialmente, Nate explicou que a organização da Liga foi baseada em ligas de esportes tradicionais como NBA e NFL no que diz respeito a tornar os times famosos em cada região. Um dos objetivos da Liga é assemelhar-se ao esporte tradicional na competitividade e união de fãs de um time que representa um certo local.
Ele acredita que essa estrutura trará a estabilidade que os times precisam para continuarem no cenário do e-sports, além dos times terem sempre uma vaga garantida na Liga. A ligação afetiva com os times é o que vai garantir a estabilidade financeira e publicitária do time, o quê trará mais seriedade ao e-sport.
Nanzer garante que eles visam o crescimento da liga em nível global e que competições presenciais estão nos seus planos. Quando questionado sobre o modo de recrutamento da Liga, ainda não há processo concreto para isso, mas Nate afirma que a Blizzard está de olho nos melhores jogadores pelo mundo e eles não ficarão de fora.

Você pode assistir o vídeo explicativo sobre a Liga na página oficial.

Características gerais da Liga de Overwatch

  • Serão times regionaistracer-jump
  • Os jogadores receberão salários e benefícios para jogar
  • Os times terão vagas garantidas na Liga, não precisando passar por relegação
  • A Liga pretende trazer competições presenciais para diversos lugares
  • Os jogadores não precisarão ser do mesmo lugar que o time, ou seja, um jogador americano pode escolher estar em um time canadense.
  • Não haverá separação em categorias na Liga. (como diferenças de nível, etc)

Confira a tradução completa da conversa com Nate Nanzer:

P.: Conte um pouco sobre essa Liga de Overwatch. Creio que é uma ideia muito interessante e é uma inovação nos e-sports com tanta organização. Por que dessa estrutura?

R.: Quando nós sentamos e começamos a pensar no cenário de Overwatch, nos e-sports. Era claro que quando estávamos desenvolvendo o jogo, sabíamos que ia ser um jogo incrível e com uma experiência competitiva incrível. Então começamos a pensar como queríamos que o jogo funcionasse dentro dos e-sports. Eu e todos os outros da equipe de Overwatch sempre fomos muito fãs de esportes tradicionais e então pensamos, o que existe de legal dentro dos esportes tradicionais que gostaríamos de trazer para o e-sports do Overwatch? Então nós fizemos muitas pesquisas durante esse último ano e meio sobre as estruturas de NFL, NBA MLS, inclusive procurando sobre F1, UFC e meio que criando uma perspectiva dos esportes tradicionais. E o que achamos que é bem importante sobre os esportes tradicionais é a ligação do time com uma região, um caminho certo para o campo profissional e nós queríamos muito trazer esses detalhes para a Liga de Overwatch. Então escolhemos meio que juntar os dois tipos de cenário esportivo e criar então a Liga de Overwatch de forma única.
E nós estamos realmente animados de poder fazer isso, pois estamos nesse cenário de e-sports há muito tempo, temos um bom relacionamento com todos os donos de times que existem atualmente e conversamos com eles. Ficou bastante claro para mim que um dos maiores desafios que o e-sports possui nesse fenômeno global online é que os donos de times estão sempre competindo pelo mesmo dinheiro de patrocínio global. E se você for procurar como os times tradicionais de e-sports conseguem dinheiro, e você encontra uma boa parte dessa renda de patrocínio e prêmios locais. Mas é muito importante para nós que os jogadores de Overwatch sejam os mais celebrados no mundo e o melhor jeito para conseguir isso é dar a estabilidade para os times, que eles possam ganhar dinheiro e acreditamos que separando por regiões nós conseguiríamos fazer isso.

mundial

P.: Você citou que olharam para as estruturas de MLS, NBA, NFL. Vocês tem ideia de como a vai funcionar o franqueamento de times? Pois a MSL é uma instituição única, possuindo vários times separados mas sendo da liga ou estão pensando em separar como a NBA e NFL, que realmente existem donos dos times e times que entram para a Liga pagando um tipo de taxa ou algo assim

R.: Na verdade nós iniciamos a busca por times na Blizzcon. Tivemos aproximadamente 120 diferentes donos de times de e-sports e esportes tradicionais só para descobrirmos um pouco mais das ligas. Sabemos que a diferença entre eles é que no e-sports nós realmente possuímos o e-sport, não será da forma que os times terão a liga, a Blizzard será a dona da liga. Uma das coisas que definitivamente queremos pegar emprestado dos esportes tradicionais é o real investimento. A ideia é tornar a Liga cada vez mais valiosa. Se você olhar para o valor dos esportes internacionais, o valor dos times, por exemplo a NFL, o valor dos times da NFL são em torno de 62 bilhões de dólares. Então queremos ter a possibilidade de trazer valor para os investidores, com o espaço garantido na liga para os times. Vai ser então mais parecido com o modelo da NBA, NFL exceto pelo fato de que os times não irão possuir a liga, mas sim a Blizzard.

P.: Como vocês vão tentar assegurar que exista a estabilidade, a continuidade, e uma base de fãs, o comércio regional que consiga realmente criar um laço com o seu time e vocês imaginam os times sendo rotacionais ou os mesmos players voltarão para os times, ano após ano?

R.: É o que esperamos. E eu acho que esse é um dos desafios no e-sport hoje em dia. Times não tem realmente uma estabilidade e os jogadores profissionais também não. Então pensamos que o primeiro passo é garantir que os times que estão na Liga de Overwatch tenham estabilidade e tenham a vaga garantida na Liga. O segundo passo é assegurar que criemos um espaço saudável para os jogadores e com a ajuda dos melhores organizadores e donos de times, e dando à eles estabilidade um ambiente mais harmonioso vai surgir para os jogadores. Também queremos assegurar que a profissão jogador de Overwatch realmente exista, com salário e benefícios, da mesma forma que vemos nos esportes tradicionais, iremos com certeza trazer isso para a Liga. Com a estabilidade nós esperamos que os jogadores profissionais tenham carreiras maiores, permaneçam nos times, criem esses laços.
Eu cresci em San Diego, nos anos 80 e eu tinha tipo uns 47 pôsteres do Tony Gwynn na minha parede, e não era só por que Tony Gwynn era um dos melhores jogadores de baseball da história, mas sim por que ele também era de San Diego, ou Long Beach, enfim! E meio que o pensamento de “Nossa, o nosso melhor jogador! Ele é um de nós” certo? Vemos esse laço com os jogadores dos esportes tradicionais, e realmente esperamos que essas coisas possam acontecer na Liga de Overwatch. Para que por exemplo, se eu for fã do time de Los Angeles, que eu possa investir nisso sem a frustração de não ver Los Angeles jogar na próxima competição. Acreditamos que a estabilidade é a coisa mais importante para criar esse laço e a aproximação dos admiradores de cada time.

reaperwinstonP.: Isso significa que não teremos relegação na Liga, como vemos por exemplo na Liga de League of Legends?

R.: Eu acho que relegação é um sistema ótimo. Eu sou um grande fã do futebol europeu, e se olhar para o futebol inglês, a Associação Inglesa de Futebol foi fundada uns 153 anos atrás, e há 9 divisões, mas só 8 realmente são ativas. E o tempo investido para construir o laço da primeira divisão até a oitava, não surgiu do nada, certo? Eu acho que relegação funciona muito bem quando você tem uma infraestrutura dessas, onde, se um time não é relegado, eles não precisam na verdade se desfazer e sair do mercado. Nós acreditamos que um jeito de criar um novo e-sport é não ter a relegação, então nosso plano é ter vagas garantidas na Liga e que os times tenham essa estabilidade para que eles não tenham aquela preocupação “Nós temos que ganhar esses três jogos para continuar na Liga”
E realmente esse é um assunto em alta no cenário de League of Legends por que muita gente diz que não vai assistir se não tiver a relegação, e que isso mantém o cenário com a sensação de competição. A relegação mantém o foco do investimento naqueles times que estão no topo e têm mais chance de ganhar, então os times menores se sacrificam para continuarem ali, para permanecerem competitivos. Então achamos que da maneira que pensamos será mais fácil e a melhor maneira de inovar no e-sport, quem sabe daqui uns 25 anos não pensamos na relegação? Definitivamente.
estadioow

P.: E como vai funcionar a parte de espectador? Por exemplo pessoalmente, vocês gostariam que tivesse uma Arena Overwatch em cada cidade onde os jogos são feitos ou algo mais rotativo? Seria transmitido pela TV ou online pelas plataformas tipo Twitch?

R.: Atualmente essa questão não está sendo discutida por nós, ainda não decidimos nada sobre o plano de distribuição da Liga, pretendemos falar sobre isso nos próximos meses. Estamos abertos para as mais diversas plataformas. E pessoalmente, nós realmente estamos animados para isso. Eu sou sortudo que moro na Califórnia, onde muitos eventos de e-sport acontecem, existem bem poucos lugares com eventos regulares desse tipo. E pensamos, bem confiantes que há muitas pessoas pelo mundo que desejariam assistir eventos de e-sport mas realmente não conseguem pela falta de possibilidade e oportunidade. Então uma das nossas ideias sobre ter times regionais, é que esperamos no futuro chegar ao ponto de que cada time terá a chance de jogar na sua região com uma plateia. E realmente, é uma ideia que queremos que se torne realidade.

P.: Como vocês planejam incorporar os jogadores de outros lugares do mundo? Os times serão internacionais ou teria como buscar esses jogadores para jogar regionalmente em um lugar específico?

R.: Então, nós queremos que os melhores jogadores do mundo joguem no time de Overwatch, se há um time de Los Angeles não é necessário que todos sejam de Los Angeles, da Califórnia ou até mesmo dos Estados Unidos. Nossa visão é de que um jogador pode ser muito desejado por um time, e certamente é algo que queremos ver. testes

P.: E como será o recrutamento? É a parte mais importante disso tudo.

R.: Eu acho que vai ser incrível, na verdade, agora, a pergunta que mais recebemos é Como eu chego no nível profissional? Como eu me inscrevo para um time de e-sport? E eu na verdade não sei a resposta pra essa pergunta. É realmente difícil. Eu cresci jogando beisebol, não é fácil se tornar um jogador profissional de Beisebol mas eu sabia as coisas que eu precisava fazer para me tornar um. Então.. Nós sabemos quem é bom de verdade, e a Blizzard vai garantir que os melhores jogadores entrem para a Liga de Overwatch. É importante conhecer o jogador por inteiro, nos importamos também não só com o jogador solo, mas também com a sua noção de jogo. Por exemplo na Copa Mundial de Overwatch a Coréia do Sul possuía uma sinergia incrível. Então a questão é dar o espaço para o jogador mostrar a sua habilidade e então ver se aquilo se encaixa no time.

P.: Diferentemente dos esportes tradicionais, o Overwatch vai mudar com o tempo, novas atualizações, modificações. Como vocês irão lidar com essas modificações para criar uma Liga consistente, com o passar dos anos?

R.: Eu acho que alguns jogos, por exemplo, Counter Strike. As pessoas têm jogado Counter Strike por uns 20 anos em três diferentes versões e meio que, fundamentalmente ainda é o mesmo estilo, certo? Imagino que mesmo que hajam novos heróis, novos mapas, novos metas, o principal fundamento do jogo sempre estará lá. E é nossa obrigação, claro, prestar atenção nas regras, do modo competitivo de se jogar, mantendo isso atualizado para que a Competição seja adaptada ao jogo.

P.: Se a Liga se tornar um sucesso, será que de alguma maneira seria um problema nas decisões de vocês, sobre a maioria dos jogadores, dividir o nível de profissionalismo/habilidade na Liga?

R.: Nos constantemente fazemos mudanças de balanceamento no jogo, em todos os níveis. Entendemos que há 2 milhões de pessoas jogando Overwatch atualmente mas não acho que será um problema para nós. Mas iremos assegurar que haja um padrão de balanceamento, não que os times terão de passar sempre por testes, mas sempre queremos manter a competitividade da Liga.

About Andrezza "ArpBerry" Rocha

Orgulhosamente pertenço à função Suporte, determinada em ajudar e dissolver tretas em jogos ou fora deles. Roubo POTGs de Symmetra e dou risada de rages. Dizem que sou Mei-ga, mas ainda não sei se isso é bom ou ruim